Brasil exporta tecnologia de irrigação para Europa ocidental

A equipe da Irriger, especialista em gerenciamento de irrigação do grupo Valmont, esteve na cidade de Burgos, na Espanha, para promover o primeiro treinamento para implantação do Valley Scheduling, sistema de gestão de irrigação, na região da Europa ocidental. A plataforma, desenvolvida no Brasil, onde é conhecida como Irriger Connect, está conquistando cada vez mais mercados.

“Esta foi a primeira ação da Irriger em conjunto à Global Technical Sales, com o objetivo de estruturar a instalação do Valley Scheduling em todo o mundo, e constituiu uma excelente oportunidade para definirmos os planos de atendimento e treinamento comercial”, explica o diretor da Irriger, Hiran Moreira.

Durante uma semana, representantes da Irriger se reuniram com os supervisores e gerentes comerciais da região, incluindo o vice-presidente de Global Technical Sales da Valley, Steel Maloney, além de revendas Valley da Espanha, França, Portugal e Itália, e da equipe técnica de um grande produtor irrigante local que foi o primeiro a utilizar o Valley Scheduling na Europa.

O programa Valley Scheduling de gestão de irrigação permite ao produtor a tomada de decisão baseada em parâmetros técnicos, calculando a lâmina de irrigação mais adequada para a lavoura a cada momento e promovendo o melhor uso dos pivôs Valley. No Brasil, onde o programa foi desenvolvido, ele é comercializado como Irriger Connect. Atualizado em tempo real com dados climáticos e da irrigação realizada, a plataforma também disponibiliza informações sobre a lavoura, como o estágio de desenvolvimento e as necessidades hídricas, e até as condições do solo, acessíveis via smartphone, tablet ou computador.

A equipe do grupo Valmont já prepara a instalação do Valley Scheduling em 13 fazendas europeias. “São novos tempos para a Valmont. O encontro também serviu para conhecemos o time da empresa que atua na região da Europa e para definirmos importantes passos para o futuro”, diz Hiran.

Fonte: Grupo Cultivar

Anúncios

Calor excessivo e falta de chuvas impulsiona venda de serviço de gerenciamento de irrigação

Resultado de imagem para irrigação valmont

O ano de 2018 foi marcado pelo crescimento do serviço de gerenciamento de irrigação. A informação é da Irriger, empresa brasileira de gerenciamento de irrigação pertencente ao grupo Valmont, que registrou uma ampliação de mais de 15% na demanda pelo monitoramento técnico.

Em Uberaba, conforme dados da Secretaria do Agronegócio, o município conta com apenas 90 pivôs de irrigação, o que corresponde a pouco mais de seis mil hectares de área com esse tipo de tecnologia. Em Unaí, no Noroeste de Minas, por exemplo, 60% da área de produção é coberta por pivôs.

Mas a situação em Uberaba deve mudar nos próximos cinco anos. O secretário de Agronegócio, Luiz Carlos Saad, acredita que a área coberta por pivôs no município deve quadruplicar.

“Hoje, é uma área pequena por que o índice pluviométrico em Uberaba é muito bom. Então, em áreas onde o regime de chuvas é pequeno, existe uma necessidade maior da utilização da irrigação”, ressaltou Saad.

O secretário lembrou ainda que além do índice pluviométrico, que é favorável em Uberaba, a instalação dos pivôs requer estudos técnicos e ainda a liberação de órgãos ambientais.

“Mas, o caminho para a agricultura é a tecnificação. E a irrigação ajuda na produtividade. Então, acredito que Uberaba deve crescer a demanda por esse tipo de tecnologia”, disse Saad.

No Brasil, a principal demanda por irrigação vem de produtores de grãos, soja e milho.

Produção. O secretário destacou que a média anual pluviométrica em Uberaba é muito boa, mas este ano no mês de janeiro ficou abaixo da média. E com o forte calor, a produção pode ser afetada. “Calor nesse período é normal. Acontece que em anos anteriores chovia muito e, com isso, o calor era amenizado”, lembrou Saad.

Com o auxílio do gerenciamento de irrigação, agricultores conseguem economizar até 20% no consumo de energia elétrica

Na região de Taquarivaí/SP, a fazenda São José está conseguindo economizar até 20% no consumo de energia elétrica. Com 640 hectares, a propriedade conta com 19 pivôs centrais e utilizam o Sistema Irriger a mais de três anos.

De acordo com o Gerente da Fazenda São José, Eliseu da Silva, com o sistema de gerenciamento é possível planejar a irrigação para toda a semana. “Com o programa, nós sabemos quando temos que irrigar ou se está irrigando demais, além de saber a previsão climática e podemos planejar para a semana a irrigação de todos os pivôs”, afirma.

Por: Carla Bravo e Andressa Simão
Fonte: Marcas e Máquinas

 

 

 

Sistema de irrigação movido a energia solar reduz gastos com eletricidade

Resultado de imagem para valmont agrishow

A valmont apresentou o sistema de irrigação movido a energia solar, que é alimentado através de placas instaladas na propriedade. A tecnologia garante reduzir os custos com a energia elétrica e torna viável a irrigação em áreas que ainda não tem eletricidade.

De acordo com o gerente de engenharia e serviços  Valmont Brasil, Vinicius Melo, os pivôs de irrigação contam com um sistema de ajuste que permite a aceleração controlada do motor, na qual pode variar entre 1 a 136 RPM. “Nós estamos criando dois conceitos, um é o torque a qualquer tempo e anda o dobro de velocidade de qualquer pivô tradicional, já o segundo é de passagem rápida que pode ser utilizado para fertilização e adubar”, destaca.

Outro lançamento feito para melhorar o setor da irrigação, foi o novo painel ICON que é controlado exclusivamente por um aplicativo. “Tudo que o agricultor precisa é ter flexibilidade do controle de cada equipamento e esse sistema permite isso que pode programar todas as operações dos equipamentos de irrigação”, ressalta.

Fonte: Marcas e Máquinas

Valley lança primeiro painel inteligente para pivôs centrais do mercado

Resultado de imagem para valley valmont

A edição 2017 da Agrishow marcou oficialmente o lançamento do primeiro painel inteligente para pivôs centrais do mercado: o ICON, que trás funcionalidades como controle remoto a distância, sem necessidade de internet. A tecnologia de última geração foi apresentada pela marca Valley, da Valmont, multinacional americana líder em irrigação de precisão.

“A inovação sempre foi uma marca muito forte da nossa empresa. E, mais uma vez, vamos surpreender o mercado com a série de painéis Icon, que vai revolucionar o futuro da agricultura. Estamos facilitando a rotina do produtor rural e, ao mesmo tempo, potencializando os seus resultados na fazenda com mais eficiência”, comemora o Diretor Presidente da unidade brasileira, Renato Silva.

Segundo Vinícius Melo, gerente de engenharia e serviços da Valley, os diferenciais do ICON começam pela estrutura, que foi desenvolvida com alto nível de resistência capaz de enfrentar as mais diversas condições de clima e tempo. Além disso, a tela é colorida e sensível ao toque.

Para o desenvolvimento do Icon, a Valley investiu muito em pesquisa e experimentos a campo. Os engenheiros da empresa buscaram informações, direto com representantes e produtores clientes proprietários de pivôs Valley®, sobre quais funcionalidades tornariam a rotina de trabalho melhor no campo. E aí surgiu uma das maiores características do Icon: a possibilidade de controle direto do celular ou tablet, mesmo sem internet. “Não é preciso ir até o pivô para acioná-lo. O acesso é feio pelo aplicativo que pode ser baixado pelos usuários, transformando o dispositivo móvel em um painel de controle, com a mesma interface daquele instalado junto ao pivô”, explica Vinícius Melo.

Além disso, o Smart painel conta com um processamento no mínimo duas vezes superior a qualquer equipamento disponível no mercado e uma plataforma que é a mais amigável já utilizada, capaz de receber outros recursos, como se conectar a sensores de umidade, temperatura e vento. O ICON já vem equipado com um ícone de conexão com a AgSense, possibilitando controle e monitoramento ininterruptos, através do aplicativo. Os painéis também são compatíveis com a tecnologia de telemetria do BaseStation3™.

A série ICON de painéis será apresentada em várias versões, pensadas para o pequeno, médio e grande agricultor, uma delas poderá ser instalada em pivôs de qualquer marca.