Técnica promove economia e melhora qualidade no cultivo de pimenta

Resultado de imagem para cultivo de pimenta

Produzir pimenta de boa qualidade requer a adoção de alguns cuidados, que vão desde o plantio das mudas até a comercialização do grão. A fase de cultivo da especiaria demanda ainda mais atenção. “A irrigação interfere diretamente na produção agrícola”. A afirmação é do Engenheiro Agrônomo Eduardo de Aragão Santana. Para que esse processo seja efetivo, ele recomenda a tensiometria, técnica que permite monitorar a umidade do solo e realizar as irrigações no momento e na quantidade certos.

“Por meio do uso de tensiômetros, é possível fazer o manejo correto da irrigação. Quando o equipamento é instalado, as informações dos teores de água no solo são registradas. Isso possibilita, com precisão, o controle da umidade que chega à cultura”, explica.

Além da economia de água, outro benefício possibilitado pelo método é a saúde das plantas. “Excessos ou falta de água comprometem a sanidade das raízes. Na pimenta, a principal doença entra na planta através de raízes mortas ou debilitadas, o que ressalta a importância do uso de uma técnica apurada de irrigação, evitando desperdício e o risco sanitário”, afirma Eduardo.

Fonte: EsHoje
Anúncios

Roças de pimenta-do-reino da região do Arapiuns serão contempladas com sistemas de irrigação

Projeto Alto Arapiuns foi selecionado por edital da Fundação Cargill juntamente com outras nove iniciativas de outras regiões do país (Foto: Agência Pará/Divulgação)

Pela segunda vez, o projeto Alto Arapiuns de Segurança Alimentar e Conservação Ambiental do Aeroclube de Voo e Vela CTA é selecionado pela Fundação Cargill, por meio de edital. O foco agora será a complementação dos sistemas de irrigação das plantações de pimenta-do-reino produzidas para a comercialização.

O projeto visa melhorar a geração adicional de renda dos integrantes das comunidades ribeirinhas em Santarém. Com o novo aporte, a expectativa é de que as perdas das roças de pimenta-do-reino passem de 50% a 15%. Para isso, serão instalados poços ou motobombas para irrigação de 15 roças e acompanhamento mensal de 18 roças pelo agrônomo ou técnico agrícola, além de ações para a melhora da nutrição da comunidade e conservação da floresta.

O Projeto Alto Arapiuns tem o objetivo de melhorar a geração adicional de renda dos integrantes das comunidades ribeirinhas na bacia de afluentes do rio Arapiuns. Além dele, outras nove iniciativas foram selecionadas pelo Edital 2018 da Fundação Cargill. Juntas, elas beneficiarão 2.288 pessoas.

Para a seleção foram consideradas questões como o planejamento e gestão, o impacto e a relevância do projeto, seu poder de transformação, seu potencial de inovação e sustentabilidade, além de alinhamento entre o propósito e a missão da fundação. O edital 2018 recebeu inscrições de 168 projetos de 141 instituições presentes em 14 estados brasileiros.

Fonte: G1