Primeiro Biofertilizante registrado no Brasil é destaque na 26ª Hortitec

O primeiro biofertilizante registrado no Brasil é uma conquista da Microquimica, empresa brasileira que atua na produção e comercialização de biofertilizantes, inoculantes, adjuvantes e reguladores do crescimento vegetal, que participou pela oitava vez da Hortitec, maior feira de horticultura da América Latina.  O evento aconteceu entre os dias 26 e 28 de junho, no Pavilhão de Expoflora, em Holambra (SP).

O Vorax tem ação bioestimulante e é produzido a partir da fermentação biológica do melaço de cana de açúcar. Ele teve o registro concedido em dezembro de 2018, em um processo que levou cerca de seis anos para ser concluído, após muitas pesquisas em várias culturas e alto investimento.

O diretor técnico do grupo, Roberto Berwanger Batista, afirma que o Vorax é o único com garantia e certificação para ser fornecido com o selo de biofertilizante e reforça que o registro é um marco para todo o setor agrícola do Brasil. “É uma conquista da empresa, mas acreditamos que com isso abrimos oficialmente uma nova classe de produtos e de tecnologia regulamentada para uso aqui no país, que auxiliam as plantas a expressarem seu potencial produtivo e adicionalmente ajudam a tornar a agricultura mais sustentável”.

Com a conquista, o grupo pode comunicar de forma clara os ingredientes ativos do produto, sendo o principal um aminoácido chamado ácido L-glutâmico, e os efeitos do formulado no metabolismo vegetal. “Esses efeitos são bastante diferentes dos nutricionais e são observados com doses muito baixas de aplicação. As doses variam de 30 a 100 ml por hectare e ativam três metabolismos nas plantas, do nitrogênio, do carbono e o oxidativo, gerando maior crescimento e produtividade”, conta Batista, que afirma que este é o grande diferencial do produto, que motivou a busca do enquadramento na classe adequada. “E essa classe é a de Biofertilizantes, não a de Fertilizantes”.

A eficiência do Vorax, inclusive na horticultura, em culturas como tomate, batata, alface, couve, beterraba e chicória, foi comprovada em estudos científicos, com diversas publicações em revistas científicas. “São pesquisas que confirmam a absorção e a metabolização do biofertilizante nas mais diversas culturas, com ganhos em crescimento, produtividade e até mesmo conservação pós-colheita, que melhoram a rentabilidade do produtor”, reforça o diretor.

Foto: André Montejano

Anúncios

Termotécnica amplia presença na Hortitec 2019 com linha DaColheita

Com sua linha DaColheita, a Termotécnica marcou presença na Hortitec 2019, em Holambra (SP), de 26 a 28 de junho. Fabricante de conservadoras em EPS (Poliestireno Expandido) para frutas e tendo conquistado mercados como o Vale do São Francisco e região Sudeste, a Termotécnica expande constantemente sua atuação no agronegócio e diversifica o portfólio para atender novas culturas. Na feira, a empresa mostrou em seu estande (nº 40 – setor azul), suas soluções para mamão, manga, figo, snacks saudáveis, entre outros, e destacou sua solução premiada internacionalmente no WorldStar.

Concedido pela WPO (World Packaging Organization), o WorldStar é o mais importante prêmio internacional do mercado de embalagens. Concorrendo com mais de 300 soluções de todo o mundo, a conservadora DaColheita para cumbuca de frutas venceu nas categorias Food e Save Food, recebendo reconhecimento prata como solução para o combate ao desperdício de alimentos. Com a premiação, a marca DaColheita consolida-se em soluções pós-colheita contribuindo para que as frutas brasileiras ganhem mais destaque nos mercados internacionais.

As conservadoras DaColheita são desenvolvidas em EPS, 100% recicláveis e alinhadas à iniciativa Save Food da ONU que tem o objetivo de reduzir o desperdício de alimentos em toda a cadeia de produção, distribuição e consumo. Com tecnologia e designs patenteados, permite alto isolamento térmico, facilidade no empilhamento e transporte. E, nesta verdadeira corrida contra o tempo, do produtor ao consumidor, as soluções DaColheita ampliam em até 30% o shelf-life das frutas mantendo suas propriedades nutricionais. Isso representa também dias a mais com a fruta saudável nas gôndolas com muitas vantagens para o varejista.

Inovação e Tecnologia pela Sustentabilidade

As soluções DaColheita reforçam o compromisso da Termotécnica em desenvolver soluções de embalagens inovadoras, ativas e sustentáveis. O EPS é um material plástico 100% reciclável e, desde 2007, a Termotécnica realiza o Programa Reciclar EPS, com logística reversa e reciclagem do material em todo o Brasil. Já são mais de 40 mil toneladas de EPS pós-consumo que ganharam um destino mais nobre – ou seja, 1/3 de todo o material consumido no país.

Embrapa Hortaliças mostra pesquisas sobre sistemas de plantio direto e hortaliças não convencionais


As pesquisas da Embrapa Hortaliças sobre o Sistema de Plantio Direto de Hortaliças serão apresentadas no espaço da Empresa na 26ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas, que ocorre de 26 a 28 de junho, em Holambra (SP). Esse sistema conservacionista é uma prática agrícola que contribui para a conservação do solo e a economia de água, além de minimizar os efeitos das mudanças climáticas.

No mesmo espaço, o público terá acesso a algumas espécies de hortaliças que fazem parte das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), que têm, entre suas características, o crescimento espontâneo. Essas plantas chamam a atenção pelo valor nutritivo, pelo baixo custo de produção e, geralmente, estão vinculadas à tradição culinária de uma região. Algumas dessas PANCs eram consumidas desde tempos remotos por gregos e egípcios.

Conservação e produtividade

O Sistema de Plantio Direto é consagrado na produção de grãos e há vários anos a Embrapa tem realizado pesquisas para a recomendação do SPD no cultivo de hortaliças. Esse trabalho, promovido em parceria com empresas de assistência técnica e extensão rural e cooperativas, vem possibilitando a adoção do SPDH em áreas olerícolas da região sudeste e dos estados de Goiás, Santa Catarina, Paraná além do Distrito Federal.

O SPDH se baseia em três princípios: rotação de culturas com a inclusão de plantas de cobertura, responsáveis pela produção de palhada; revolvimento localizado do solo, restrito a linhas ou covas de plantio; e a cobertura permanente do solo. A adoção do SPDH é recomendada para diferentes perfis de agricultores com a vantagem de conciliar elevados níveis de produtividade, redução nos custos de produção e a preservação do meio ambiente.

Uma questão fundamental na adoção desse sistema no cultivo de hortaliças é a escolha correta das plantas de cobertura. As pesquisas da Embrapa Hortaliças têm permitido indicar as mais apropriadas para as hortaliças brássicas (rúcula, couve, repolho, brócolis e couve-flor); cucurbitáceas (abóbora e melão) e solanáceas (tomate, berinjela, jiló, pimentão e pimenta) e para a cebola. Entre os benefícios que têm sido obtidos na adoção desse sistema estão redução de até 80% no uso de máquinas; aumento na matéria orgânica do solo; redução nos custos de produção; significativa economia na irrigação e redução dos picos de temperatura no solo.

Pesquisa comparativa realizada em um período de seis anos mostrou que o sistema de plantio direto na produção de hortaliças acumula, por hectare de lavoura, cinco toneladas a mais de carbono no solo do que o sistema convencional. Esse dado permite inferir que o plantio direto é uma ferramenta capaz de mitigar as emissões atmosféricas de gases de efeito estufa pela horticultura.

PANCs

A Embrapa Hortaliças mantém uma coleção de germoplasma de hortaliças não convencionais com mais de 50 espécies, o que permite uma rica variabilidade genética com a finalidade de conservação e de preservação dessas plantas. O pesquisador Nuno Madeira conta que as PANCs são encontradas em várias partes do mundo e existem espécies em praticamente todas as regiões do Brasil. Porém o desconhecimento da população sobre as possibilidades de uso e do potencial nutritivo impede que elas façam do hábito alimentar das pessoas.

Na 26ª Hortitec, a Embrapa disponibilizará informações sobre plantas como a azedinha que, encontrada com mais facilidade do Rio Grande do Sul a Minas Gerais, é usada muitas vezes em substituição à alface e tem o diferencial de dispensar o limão na salada. O público conhecerá a capuchinha, que é uma das flores comestíveis mais consumidas no Brasil, com sabor levemente picante que lembra o agrião. A capuchinha é rica em carotenoides, especialmente luteína, um composto importante para a prevenção de doenças relacionadas à visão. Estarão expostas também plantas de amaranto e carurubeldroegamangarito  e peixinho.

Serviço

26ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas

Data: 26 a 28 junho de 2019

Horário: Dias 26 e 27, das 9h às 19h; e dia 28, das 9h às 17h.

Local: Estande da Embrapa no Recinto da Expoflora (Holambra/SP)

Hortitec chega à 26ª edição com muita tecnologia e inovação para o setor de HF

Imagem relacionada

Aumentar a produtividade e qualidade dos produtos sem ampliar custos e consumo de recursos, como água e energia. As soluções para esse e outros desafios impostos ao setor hortifrutícola do Brasil vão estar à disposição dos produtores de flores, frutas e hortaliças, durante a 26ª HORTITEC – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas. Reconhecida como a mais importante mostra de HF na América Latina, a Hortitec acontece de 26 a 28 de junho, no Parque de Exposições da Expoflora, em Holambra (SP).

A edição 2019 reunirá 430 empresas expositoras do Brasil e do Exterior e espera receber mais de 30 mil visitantes. Nos cerca de 30 mil m² da exposição, produtores de hortaliças, flores, frutas, florestais, mudas, empresas e prestadores de serviços encontrarão os mais importantes fornecedores de estufas, máquinas, equipamentos e insumos diversos, as tecnologias mais inovadoras em produtos e serviços e muita possibilidade de atualizar contatos, analisar o mercado, trocar informações, se capacitar, realizar e programar negócios em curto médio e longo prazo.

Em meio às soluções de climatização e refrigeração, estufas para cultivo protegido, ferramentas, fertilizantes, mudas e substratos, os visitantes vão conhecer novidades em irrigação e aquecedores, em insumos, sementes e telas, em plásticos, embalagens, vasos e poços artesianos, além de muita consultoria técnica e informática a serviço do produtor.

A fim de garantir o perfil diferenciado dos visitantes, que é um grande diferencial da Hortitec, os convites são distribuídos aos clientes atuais e potenciais das próprias empresas expositoras, o que acaba por provocar um grande networking e fomentar muitos negócios.  Porque é reconhecida como de total interesse dos produtores de diferentes culturas setor hortifrutícola e porque é o evento mais importante da América Latina, a Hortitec atrai as principais empresas nacionais e internacionais. “A Hortitec tornou-se um ponto de encontro em que há troca de ideias, realização de negócios e reuniões setoriais. É, portanto, uma grande fonte de informações para planejamento das atividades dos empresários envolvidos”, comenta o Diretor Geral da Hortitec, Renato Opitz.

Capacitação 2019

Além de apresentar as novidades do setor, paralelamente ao evento acontece o Painel EMBRAPA sobre “Inovação e Negócios 2019: Hortaliças e Sustentabilidade”. O curso de capacitação tem vagas limitadas.

A programação completa e informações para inscrição prévia estão disponíveis no site do evento www.hortitec.com.br

 NÚMEROS DA HORTITEC 2019

Total de Expositores: 430

Área total da Exposição: 30 mil m²

Estimativa de Visitação: Mais de 30 mil pessoas, entre produtores de hortaliças, flores, frutas, florestais, agrônomos, empresas e prestadores de serviços.

Serviço: 26ª Hortitec
Data: de 26 a 28 junho de 2019
Horário: 26 e 27, das 9h às 19h.
28, das 9h às 17h.
Local: Parque de Exposições da Expoflora Rua Maurício de Nassau, 675, Holambra/SP.
Ingressos: R$ 36,00/inteira e R$ 18,00/estudantes e terceira idade.
Informações adicionais: no site www.hortitec.com.br ou pelo telefone (19) 3802-4196.

Tecnologias focadas na nutrição do solo ganham destaque na Hortitec

Imagem relacionada

Será apresentada durante a Hortitec, exposição técnica de horticultura, que ocorre entre os dias 20 e 22 de junho, em Holambra (SP), a Linha Solo desenvolvida pela Alltech Crop Science, que tem como objetivo melhorar as condições para o desenvolvimento da planta desde o plantio. De acordo com o engenheiro agrônomo e diretor comercial da Alltech Crop Science, Ney Ibrahim, a biotecnologia utilizada nesses produtos vem para tornar os cultivos mais racionais e sustentáveis, além de incrementar a produtividade e qualidade dos cultivos. “Atualmente, o uso desse tipo de tecnologia no campo tem apresentado um crescimento de cerca de 20%”, aponta.

O Soil-Plex Active, um dos produtos da linha, teve sua eficácia comprovada por diversos trabalhos de campo, entre eles um realizado em São Gotardo (MG) recentemente, que comparou áreas com e sem a aplicação da solução. Ele mostrou que, com o uso do produto, uma área de cenouras conseguiu alcançar 24% a mais de cenouras 3A – a preferida dos consumidores – ao mesmo tempo que houve redução de 6% de cenoura com má formação (padrão descarte). A produtividade também ganhou destaque: foram produzidas 60 caixas de 29 quilos do vegetal a mais, o que equivale a aproximadamente 1,74 tonelada.

De acordo com Ibrahim, as soluções da Linha Solo promovem maior estímulo natural e espontâneo ao desenvolvimento radicular, disponibilizam macro e micronutrientes, colaboram na redução de estresses ambientais, além de favorecerem o desenvolvimento uniforme e equilibrado dessas plantas. “Dessa forma o equilíbrio biológico é reestabelecido, estimulando também os micro-organismos que trabalham em simbiose com a planta, tornando possível alcançar melhores resultados em qualidade e produtividade”, complementa.

Algumas culturas fazem o uso muito intensivo do solo — base de toda a produtividade de uma plantação. Em hortifrúti, por exemplo, produtores costumam colher entre três e quatro safras ao longo do ano, fazendo com que os cuidados com o ambiente em que a cultura está inserida sejam fundamentais para o desenvolvimento correto dela. “O solo é o maior patrimônio de um produtor, dar melhor qualidade a ele auxilia no crescimento uniforme e produtivo dos cultivos”, explica.

Participação na feira

Para Ibrahim, poder participar da Hortitec apresentando a solução natural é uma oportunidade. “Nossos esforços e atenções à feira são muito grandes, visto que se trata de um evento de relacionamento. Lá, os produtores vão buscar informações, conhecimento, estar mais próximos das empresas que os auxiliam”, conta. Os produtores que estiverem presentes na ocasião poderão conhecer mais resultados dessa linha, compartilhar novidades e expectativas para a próxima safra e ainda participar de um momento de descontração ao assistir ao jogo do Brasil contra a Costa Rica, na sexta-feira, dia 22, às 9h no stand da Alltech, com direito à degustação de Kentucky Ale, a cerveja da Alltech.