Maior exposição do setor Hortifrutícola da América Latina é sucesso de público

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Gabriel Gomes

A 24ª edição da Hortitec- Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas – alcançou as expectativas em número de participantes e de expositores. A maior e mais importante mostra de horticultura da América Latina contabilizou a participação de 29.876 visitantes e de 420 empresas expositoras do Brasil e do exterior. A edição 2017 aconteceu de 21 a 23 de junho, no Parque da Expoflora, em Holambra (SP).

Segundo o diretor da RBB e coordenador da Hortitec, Renato Opitz, o diferencial esteve, mais uma vez, na qualidade técnica do público visitante. E isso se dá porque grande parte dos convites é distribuída pelos próprios expositores aos seus atuais e potenciais clientes, o que acaba por fomentar os negócios do setor. Como prioritariamente visita o evento quem tem real interesse em produzir flores, frutas, hortaliças, florestais e demais culturas intensivas, a Hortitec consagrou-se passagem obrigatória para produtores e profissionais interessados em conhecer tecnologias, inovações, lançamentos e tendências do mercado, trocar experiências, fazer e programar negócios a curto, médio e longo prazos.

“Trabalhamos com a expectativa de a Hortitec gerar negócios da ordem de R$ 100 milhões, e estamos seguros de que este volume poderá até mesmo ser superado neste período pós-evento, considerando o feedback dos expositores”, avalia Renato Opitz.

Com um público tão expressivo, a edição 2017 ratificou a vocação da Hortitec de exposição internacional, reconhecida e frequentada por profissionais e empresas de várias partes do mundo, bem como dos quatro cantos do Brasil.

A 25ª edição, que comemorará o jubileu de prata da Hortitec, já tem data e lugar: vai acontecer de 20 a 22 de junho de 2018, também no Parque da Expoflora, à Avenida Maurício de Nassau, 675, em Holambra SP.

 

Para fotos e informações adicionais, consulte o site www.hortitec.com.br

Anúncios

Hortitec 2017: sensor facilita o manejo da água de irrigação em cultivos de hortaliças

Paula Rodrigues -

O funcionamento do sensor de irrigação Irrigas® será demonstrado ao público da 24ª Hortitec pelos técnicos da Embrapa Hortaliças. Esse equipamento foi desenvolvido para auxiliar o agricultor no manejo diário da água de irrigação e pode ser utilizado para diferentes espécies de hortaliças, em diversos tipos de solos e sistemas de irrigação.

O sensor funciona como um sistema gasoso de controle de irrigação baseado em uma cápsula porosa conectada por um tubo de plástico flexível a uma cuba transparente de leitura. “A instalação do sensor é simples e pode ser feita pelo próprio agricultor. As leituras são fáceis e indicam com rapidez se há ou não necessidade de irrigar o solo”, assinala Lenita Haber, analista de Transferência de Tecnologia.

Os sensores devem ser instalados em três locais distintos de uma unidade de irrigação ou em cinco locais, em caso de área heterogênea quanto à textura do solo. Em cada ponto, eles devem ser fixados em duas profundidades: um na metade do comprimento das raízes e outro logo abaixo do sistema radicular.

O equipamento funciona a partir do equilíbrio entre a água e o ar presente no solo e na cápsula porosa. O mecanismo é simples: se houver passagem de ar pela cápsula localizada na metade do comprimento das raízes, é sinal que o solo está seco e há necessidade de irrigar. Por outro lado, se a cápsula disposta logo abaixo das raízes estiver preenchida por água, o agricultor irrigou em excesso e, além de água, ele está desperdiçando nutrientes.

“A leitura do sensor deve ser realizada diariamente, preferencialmente pela manhã. Em condição ambiental que requer mais de uma irrigação por dia, como clima quente e seco ou solo de textura grossa, recomenda-se fazer uma segunda leitura no início da tarde”, esclarece Lenita. O sensor Irrigas® foi patenteado pela Embrapa e está licenciado para comercialização pela empresa Hidrosense – http://www.hidrosense.com.br.

Irrigação na hora e na medida certa

Em tempos de crises hídricas frequentes, o produtor rural deve optar por sistemas de irrigação mais eficientes e atentar para o manejo adequado de irrigação. “O uso racional da água de irrigação é imprescindível para evitar o desperdício desse insumo nas áreas de produção agrícola”, ressalta o agrônomo Marcos Braga, pesquisador da Embrapa Hortaliças e especialista em Irrigação e Drenagem.

O manejo correto é indispensável para o uso racional da água porque, ainda que se tenha um bom sistema, se o produtor não souber dimensionar a quantidade de água, o sistema não vai atingir seu potencial de economia. “A água de irrigação representa uma fatia pequena no custo de produção, quando comparada à adubação, mão de obra e outros gastos. Por isso, na maioria dos casos, o erro é sempre por irrigar em excesso”, contextualiza Braga ao enfatizar que, além do desperdício, uma quantidade exagerada de água pode ser mais prejudicial que benéfica, visto que desconsidera a demanda hídrica de cada cultura para se manter em uma situação de conforto.

“Em regiões com solos bem argilosos, o excesso de água pode encharcar e comprometer a absorção dos nutrientes. As raízes das plantas devem respirar para captar água e nutrientes”, aponta. A irrigação em excesso também favorece a incidência de doenças e compromete o desenvolvimento porque pode causar a lixiviação de adubos e, com menor aporte de nutrientes, a planta fica menos vigorosa e mais suscetível aos microrganismos nocivos. Por isso, o uso de sensores como o Irrigas® são aconselháveis para garantir melhor desenvolvimento das plantas e menor desperdício de água.

Serviço

24ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas

Quando: 21 a 23 de junho – das 9h às 19h

Onde: Recinto da Expoflora (Al. Maurício de Nassau, 675 – Holambra/SP)

Paula Rodrigues (MTB 61.403/SP)
Embrapa Hortaliças

Telefone: (61) 3385.9109

Netafim apresenta novidades de tecnologias de irrigação inteligente para vegetais durante Hortitec 2017

Resultado de imagem para hortitec 2017

A israelense Netafim, empresa pioneira e líder mundial em soluções de irrigação por gotejamento, estará presente na 24ª Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivos (Hortitec). O evento é realizado entre os dias 21 e 23 de junho, na cidade de Holambra, interior de São Paulo. O objetivo da companhia é apresentar tecnologias inovadoras e sustentáveis que a consolidem como melhor empresa de produtos no segmento de vegetais.

A presença da israelense na feira será pautada por três lançamentos. O novo gotejador Typhon Plus é indicado para regiões que tenham águas com alto teor de sais minerais ou matéria orgânica. “O tubo não autocompensado tem paredes mais finas e maior robustez. Este produto é indicado para o agricultor que utiliza o sistema em média de três a oito safras”, esclarece Carlos Sanches, Diretor de Marketing Mercosur.

O novo aspersor D-Net 9575 tem como diferencial de mercado o braço difusor 3D, que garante uma distribuição de água uniforme. Com isso, a Netafim contribui para o uso eficiente da água na produção rural. “O produto é indicado para aplicações em área total em várias vazões e contém uma ampla linha de acessórios que completam o manejo”, completa o Diretor.

A Netafim leva ao evento uma novidade para o mercado de filtros. Para proteger o sistema de irrigação das partículas sólidas na água agora o produtor pode contar agora com a linha de produtos de filtros da Netafim. Com ampla área de filtração, o lançamento levará tranquilidade ao agricultor no que diz respeito à proteção dos gotejadores.

Líder em irrigação, a israelense leva ao evento seu portfólio completo de produtos. Um dos destaques é a linha de tubos flexíveis FlexNet. Os tubos que contam com saídas para gotejadores e aspersores possibilitam o tráfego de máquinas sobre o sistema. Leves e duráveis, os tubos são fáceis e seguros de instalar. “Por conta de sua resistência, o tráfego de máquinas sobre as tubulações não compromete o desempenho do produto, garantindo uma irrigação de qualidade e sem riscos de vazamentos”, esclarece Sanches.

O estande da Netafim contará com técnicos especialistas para esclarecer todas as dúvidas dos produtores presentes. “A Hortitec será mais uma oportunidade de mercado e de contato com os agricultores. Levaremos condições especiais para a aquisição dos nossos produtos e estamos sempre ao lado do produtor para entender e atender as demandas do agronegócio brasileiro de maneira eficaz”, finaliza o Diretor.

Para os interessados em participar do evento mais informações podem ser obtidas pelo website: http://hortitec.com.br/site/.

Sobre a Netafim

Fundada há mais de 50 anos e com cerca de 30 subsidiárias em todo o mundo, a Netafim oferece as melhores soluções aos agricultores de mais de 110 países por meio 15 unidades produtivas, milhares de distribuidores e mais de 4.000 funcionários. No Brasil são três unidades: Campinas/SP, Ribeirão Preto/SP e em Cabo de Santo Agostinho/PE. O portfólio de produtos inclui sistemas completos de irrigação por gotejamento, microaspersão, controle e monitoramento automatizados, dentre outras.

 

Seminis completa um ano de parceria com o Projeto Mais e registra ganhos de 20kg por metro quadrado

00hortifruti_02

A Seminis, marca de hortaliças da Monsanto, participa da 23ª edição da Hortitec, Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas, que ocorre em Holambra (SP), de 22 a 24 de junho. Na feira serão apresentados os resultados do primeiro ano da parceria com o Projeto Mais e serão lançadas cultivares para o mercado de hortaliças.

O Projeto MAIS é um centro de referência na disseminação das melhores práticas de cultivo protegido com sua eficiência comprovada em localidades como Holanda, Chile, México e Argentina. A primeira unidade brasileira foi inaugurada em Holambra durante a última edição da Hortitec. O projeto é uma iniciativa da Serviceres e Casa Bugre, em parceria com a Seminis, e já recebeu mais de 3000 visitas.

Durante o primeiro ano, o trabalho realizado na área de 8.280m² permitiu ganhos de 20Kg de tomates por m² cultivado. “Genética somada a um manejo controlado, além da utilização dos recursos existentes na estrutura permitiram este ganho”, explicou Fernando Guimarães, gerente de Negócios para Hortaliças da Monsanto.  De acordo com Fernando, os produtores que seguirem as orientações passadas no Learning Center têm boas chances de obter resultados em menor tempo. “Em 3 anos o tomaticultor consegue obter o retorno sobre o seu investimento inicial. Se considerar o custo e a qualidade dos frutos em um ano de produção o resultado financeiro final do cultivo protegido é superior a produção de campo aberto”, acrescenta o gerente.

No Brasil, segundo dados divulgados pela SNA – Sociedade Nacional de Agricultura, apenas 20 a 25 mil hectares representam a área de cultivo em estufas no Brasil. Entre as vantagens econômicas do cultivo protegido, também estão a potencial economia de defensivos agrícolas. Há ainda a continuidade da oferta de produto fresco ao mercado e com melhor qualidade, melhor logística e possibilidade de reutilização da água da chuva.

De acordo com Fernando Guimarães, gerente de Negócios pra Hortaliças da Monsanto, outra vantagem se deve a redução dos riscos de produção devido a intempéries climáticas.

Localizado na zona rural de Campinas, interior de São Paulo, o espaço tem 8.280m² com 6 mil plantas de oito variedades de tomate. Além da área coberta, o local conta ainda com uma extensão de 4.500 metros quadrados de área aberta, que comporta, entre outras coisas, dois tanques de captação de água pluvial, totalizando 6 milhões de litros de capacidade, para irrigar de forma sustentável a plantação de tomates protegidos.

Estufas: Cada estufa tem uma propriedade diferente, (pé direito mais alto ou mais baixo, ventilação, cor das lonas, temperatura etc.), o que simula as situações climáticas nas diferentes regiões produtoras do Brasil.

O Centro de Treinamento de Cultivo Protegido – Projeto MAIS, em Campinas (SP), pode ser visitado durante a feira. Ele está localizado a aproximadamente 30 minutos do recinto da Hortitec – veja aqui.

Lançamentos

Quem passar pelo estande da marca poderá se cadastrar para receber conteúdo exclusivo do novo site da Seminis, que agora está muito mais interativo. O novo layout conta com informações técnicas, calendário de eventos, contato dos canais de venda, vídeos, novidades sobre os produtos e um blog que passa a ser um canal de comunicação direto entre os agricultores e a marca. Por meio do blog, agricultores podem sugerir temas que serão abordados nos posts de especialistas do mercado de hortaliças.

Entre os lançamentos da Seminis na Hortitec estão as variedades de tomates Italiano SV2333TJ, Salada redondo SV2444TH e Especialidade DRC564; a couve-flor Forata e os porta-enxertos Shincheonggang e Maxifort. Além dos diferenciais voltados aos produtores, as variedades também apresentam benefícios voltados ao consumidor final:

Couve-flor Forata: com alta qualidade de cabeça, compacta e de coloração branca aos consumidores e processadores.

Tomate Italiano SV2333TJ: um híbrido com excelente pegamento sequencial de frutos e alta produtividade. Possui frutos saborosos, de formato arredondado alongado, com excelente firmeza, coloração vermelho intensa quando maduros e excelente pós-colheita. Ótimo pacote de resistência, com destaque para o Geminivírus causado pelo TYLCV e Estenfílio. Aptidão para cultivo protegido e campo aberto.

Tomate Salada redondo SV2444TH: um híbrido de tomate indeterminado que possui plantas vigorosas, com excelente cobertura foliar e alto pegamento de frutos, mantendo o bom calibre até o ponteiro. Frutos com excelente coloração para mercado fresco e pós-colheita. Alto potencial produtivo e amplo pacote de resistências, com destaque para o Geminivírus causado pelo TYLCV, Tospovírus TSWV e Estenfílio.

Tomate Especialidade DRC564: minitomate (tipo cocktail) para colheita em pencas ou frutos individuais. Seu fruto possui coloração vermelha bem atrativa, excelente aparência, sabor e doçura. Indicado para produção em cultivo protegido.

Porta-enxerto Shincheonggang:  um porta-enxerto híbrido de tomate indicado para condições de cultivo que exijam o manejo integrado da murcha-bacteriana e da murcha de Fusarium raça 3. Pode ser utilizado tanto em cultivo protegido como em campo aberto.

Porta-enxerto Maxifort: um porta-enxerto híbrido de tomate indicado para cultivo protegido, conferindo excelente vigor à planta de tomate. Maxifort é a referência mundial em porta-enxertos de tomate para cultivo protegido.

SERVIÇO

O quê? 23ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas
Quando?  De 22 a 24 junho de 2016, das 9h às 19h
Onde? Pavilhão de Exposições da Expoflora – Rua Maurício de Nassau, 675, Holambra (SP)
Quanto? R$36,00/inteira e R$ 18,00/estudantes e melhor idade.
Sobre a visita ao centro de treinamento: transporte gratuito com saída na Hortitec.
Informações adicionais nos sites http://www.projetomais.agr.br | http://www.hortitec.com.br ou pelo telefone (19) 3802-4196.