Netafim inova em ferramenta digital de controle da irrigação na Hortitec 2018

Resultado de imagem para netafim imagens

A israelense Netafim, empresa pioneira e líder mundial em soluções de irrigação por gotejamento, participa da 25ª edição da Hortitec (Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivos), entre os dias 20 e 22 de junho, na cidade de Holambra/SP.

Na feira, considerada uma das maiores exposições do setor, a multinacional israelense apresentará sua mais recente tecnologia de controle digital, o NeatBeat, um software que permite controlar e monitorar todo o processo de irrigação na lavoura.

O sistema promete revolucionar a agricultura, já que acompanha em tempo real desde o planejamento de irrigação e nutrirrigação, até o rastreamento do crescimento das plantas e condições de solo, com apenas um clique. A ferramenta vai coletar e interpretar os dados, oferecendo recomendações que ajudarão na tomada de decisão dos produtores e, consequentemente, em safras mais produtivas.

“Assim, remotamente, o agricultor poderá programar as operações de manejo da irrigação, nutrirrigação, além de acompanhar informações de clima e solo”, explica Carlos Sanches, Diretor de Marketing da Netafim.

Aspersores

A empresa também apresenta novos aspersores durante a exposição. As novidades incluem o D-Net AA, aspersor de “arco ajustável” ou como é popularmente conhecido “aspersores setoriais”. Disponíveis para os modelos 8550 e 9575, os D-Net AA são ideais para aplicação nas bordas das áreas irrigadas, pois permitem escolher o ângulo sobre o qual os aspersores distribuirão a água.

Outro lançamento é o LWP 2450, aspersor de impacto de baixa pressão, sendo indicado para sistemas onde não há volume suficiente para utilização de aspersores convencionais, possibilitando uma irrigação de baixo custo energético ou mesmo por gravidade.

O HWP 2475, aspersor de impacto de alta vazão para sistemas onde o requerimento de espaçamento é até 20mx20m, também é outra novidade da Companhia. A tecnologia é ideal para distribuição de água com resíduos orgânicos nos quais a quantidade de sólidos suspensos na água requer bocais de maior diâmetro.

“Os hortifrútis são cultivos que já irrigam, e por isso, nossa proposta é potencializar as soluções e desenvolver tecnologias que sejam acessíveis a todos os agricultores, trazendo para essas culturas o conceito de sustentabilidade com a economia de água (de 30 a 60%), energia, insumos, mão de obra, tudo isso para tornar a vida do produtor mais fácil e eficiente”, explica Bruno Costa, Gerente de Produtos da Netafim.

O mercado de HF está entre as culturas foco para este ano. Em 2017, a operações em hortifrútis cresceram 83,3% com projetos de expansão nos distribuidores e o objetivo é continuar avançando.

Mais informações para os interessados em participar do evento podem ser obtidas pelo website: http://hortitec.com.br/site/

Anúncios

Novos tipos de Hortaliças e Frutas

Resultado de imagem para cenoura

A empresa Seminis irá sortear diversos prêmios exclusivos para os visitantes da 25ª HORTITEC. Para participar, basta tirar uma foto no estande Seminis durante a visita e publicá-la no Facebook ou Instagram com a hashtag #seminisnahortitec. Os sorteios serão realizados ao longo do dia e o prêmio deverá ser retirado no estande da companhia.

Em relação a produtos, a empresa apresentará alguns lançamentos, como o tomate Coronel (SV0361TH) e o tomate tipo grape Santawest, a melancia Red Heaven, as cenouras SV1099DT e SV7390DT, as cebolas Duster e Nomad, o pimentão SV1634PH além do brócolis Titanium com tecnologia Seminis High-Rise e da couve-flor Brilhex com tecnologia Curdivex, uma inovação tecnológica da Seminis que garante uma cabeça muito mais branca, compacta e pesada, do que os híbridos de verão atuais.
Tomate CORONEL (SV0361TH): possui excelente potencial produtivo com internódios curtos e mantendo elevado pegamento sequencial de frutos inclusive no ponteiro além de excelente cobertura foliar prevenindo queima de frutos pelo sol, além de possuir elevada rusticidade e adaptabilidade mantendo um excelente comportamento em condições de cultivo de verão.

Tomate tipo grape SANTAWEST: com peso médio entre 15 e 20g e ótimo sabor, o SANTAWEST oferece altíssimo rendimento de colheita, cor vermelha e alta tolerância ao rachamento. Possui em seu pacote de resistência TYLCV e representa para o seu segmento a melhor relação Custo-Benefício do mercado.
Melancia Red Heaven: é um híbrido que se destaca pelo seu sabor e por sua
polpa com coloração vermelha intensa. Além de proporcionar frutos grandes com
casca verde escura brilhante, é bastante resistente ao transporte e oferece um
ótimo pós-colheita. Com sementes grandes, possui um excelente arranque inicial e
se destaca no período chuvoso.
Cenoura SV1099DT: com superior qualidade de raiz, alta uniformidade e
classificação comercial, possui folhas de excelente sanidade e arquitetura
ereta, que lhe dá aptidão para colheita mecânica. Uma excelente opção para
as janelas de transição (Inverno/Verão e Verão/Inverno), podendo também
ser cultivada em toda a janela de verão.
Cenoura SV7390DT: híbrido indicado para semeio na janela principal de verão,
possuindo alto potencial produtivo, baixo nível de descarte e alto percentual da
classificação AAA. Ainda possui alta qualidade de raiz, pele lisa de cor laranja
intensa e ótimo acabamento de ponta. Internamente possui excelente coloração e
coração pequeno, características que contribuem para dar sabor bem adocicado e
uma melhor textura.
Cebola Duster: cebola de dia curto e ciclo precoce, com folhas cerosas e
alta sanidade além de excelente enraizamento. Os bulbos são uniformes e
de alta qualidade de casca, apresentando coloração de casca amarelo ouro.
Com todas estas características reunidas, apresenta alto potencial produtivo.

Cebola NOMAD: é um híbrido de dia curto com alto teto produtivo,
excelente classificação e uniformidade de bulbos além da pele dupla
que garante uma melhor qualidade de casca. Possui alta sanidade de
planta e sistema radicular vigoroso que permite elevada performance
mesmo em áreas com problemas de Raiz Rosada.
Pimentão SV1634PH: se destaca pela segurança que promove ao
Produtor já que possui um pacote de resistência ímpar, agregando
resistência intermediária à Phytophthora e alta resistência à Xanthomonas
à frutos de excelente tamanho, peso e com parede grossa o que atende
perfeitamente a demanda do mercado.
Brócolis TITANIUM: recomendado para cultivo de Inverno, possui cabeça pesada
e floretes densos, granulometria uniforme e coloração verde azulado. É o primeiro
híbrido com a tecnologia Seminis High-Rise lançado no Brasil para o mercado
fresco e processamento com a qual entrega alta uniformidade na colheita e talo
mais alto proporcionando aptidão à colheita mecanizada.
Couve-flor BRILHEX: é o primeiro lançamento no Brasil que agrega a
tecnologia Curdivex da Seminis para couves-flores, o que proporciona a
qualidade de inverno também no verão. Dentre os diferenciais está o produto
final muito mais branco do que os convencionais de verão, com cabeça mais
compacta, pesada e melhor acabada.
Além de todos os lançamentos de produto, a Seminis levará para seu o
Projeto MAIS, uma área de cultivo protegido que estará aberta ao público
durante toda a feira. Mais detalhes sobre o Projeto podem ser encontrados
no site projetomais.agr.br.

Sistema de irrigação movido a energia solar reduz gastos com eletricidade

Resultado de imagem para valmont agrishow

A valmont apresentou o sistema de irrigação movido a energia solar, que é alimentado através de placas instaladas na propriedade. A tecnologia garante reduzir os custos com a energia elétrica e torna viável a irrigação em áreas que ainda não tem eletricidade.

De acordo com o gerente de engenharia e serviços  Valmont Brasil, Vinicius Melo, os pivôs de irrigação contam com um sistema de ajuste que permite a aceleração controlada do motor, na qual pode variar entre 1 a 136 RPM. “Nós estamos criando dois conceitos, um é o torque a qualquer tempo e anda o dobro de velocidade de qualquer pivô tradicional, já o segundo é de passagem rápida que pode ser utilizado para fertilização e adubar”, destaca.

Outro lançamento feito para melhorar o setor da irrigação, foi o novo painel ICON que é controlado exclusivamente por um aplicativo. “Tudo que o agricultor precisa é ter flexibilidade do controle de cada equipamento e esse sistema permite isso que pode programar todas as operações dos equipamentos de irrigação”, ressalta.

Fonte: Marcas e Máquinas

Agrônomo José Wilson fala da realização de curso de manejo em sistema de irrigação em Elesbão Veloso

Por José Loiola Neto

Em Elesbão Veloso semana passada, o engenheiro agrônomo José Wilson(63), graduado pela Universidade Federal do Piauí- UFPI com pós-graduação em agentes gestores de arranjos produtivos pela Universidade de Fortaleza-UNIFOR.

Com atuação no mercado há 36 anos, natural de Regeneração-PI, atualmente residindo em Manoel Emídio-PI, José Wilson ministrou durante a quinta-feira(24) e sexta-feira(25/5) nas dependências do Sindicato dos Trabalhadores(as) Agricultores(as) Familiares de Elesbão Veloso mais uma etapa do projeto Práticas de Manejo em Sistema de Irrigação por Aspersão e Gotejamento, desenvolvido pela Coordenadoria do Programa de Combate ao Programa a Pobreza Rural-CPCPR, contemplando a pelo menos 42 pequenos produtores e agricultores familiares.

Zé Wilson esteve a serviço da Servfaz, empresa terceirizada para oferecer o curso. Segundo ele, o curso é um tanto elementar, sendo que na prática é trabalhado, principalmente como funciona uma irrigação por gotejamento e por aspersão convencional, também os cuidados a serem adotados quando for ao técnico a elaboração de um projeto, levando em conta a qualidade da terra, do solo, quantidade e qualidade da água.

O curso Práticas de Manejo em Sistema de Irrigação por Aspersão e Gotejamento vem sendo disseminado Piauí afora já foi oferecido a produtores rurais nas cidades de Piripiri, Agricolândia, em Elesbão Veloso e por último, no final de semana passado, na cidade de Socorro do Piauí.

José Wilson disse que paralelamente outros cursos estão sendo ministrados, dentre eles manejo da palma forrageira, que serve como suporte alimentar para bovinos, ovinos e caprinos. Um dos municípios pioneiros no uso da palma forrageira no Piauí, segundo o agrônomo é Oeiras, mas também em Jerumenha há um produtor de palma que tem um faturamento mensal excelente, vendendo raquetes. No caso de Oeiras, há um projeto encabeçado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, proporcionando a criação de pelo menos 11 pontos de produção.

Fonte: ElesbãoNews

Estudo revela que 52,1% do território do oeste baiano têm vegetação nativa preservada

Fórum Canal Rural

Com uma das agriculturas mais tecnificadas e produtivas do mundo, os produtores do oeste da Bahia vêm se mostrando líderes em outra área. Na tarde desta terça-feira (29), ficou evidenciado o papel da categoria na preservação do cerrado baiano, tema do Fórum do Canal Rural, realizado no auditório da Fundação Bahia, em Luís Eduardo Magalhães, oeste da Bahia. Apesar de a feira ter sido adiada para o período de 05 a 09 de junho, foi mantida a data do tradicional evento, transmitido ao vivo pela Tv e Internet. O Fórum contou com a participação de telespectadores e internautas de todo o Brasil.

Durante a transmissão, foi divulgado, em primeira mão, um estudo da Embrapa Monitoramento por Satélite que mostra que 52,1% da área dos produtores rurais são destinadas à preservação do meio ambiente por meio de Reserva Legal, Área Preservação Permanente (APP´s) e vegetação excedente preservada além do que exige o Código Florestal. “Se convertermos isso em valores, o patrimônio fundiário preservado por estes produtores pode variar de R$ 11 a R$ 26 bilhões, a depender se é o preço da terra com ou sem produção agrícola. Qual a categoria profissional que imobiliza essa quantia para o meio ambiente?”, questionou o chefe da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda, ao mostrar que os números reforçam a real contribuição do agricultor na preservação do bioma.

Fórum Canal Rural
Fórum Canal Rural. Foto: Divulgação

Ao integrar o debate, o pesquisador da Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), Luís Gustavo Amaral, reforçou a importância de estudos, como os da Embrapa, que possam aprofundar o conhecimento e desmistificar alguns preconceitos. “O bioma do oeste da Bahia possui suas particularidades, e um amplo estudo também está em andamento na região sobre a capacidade de infiltração da água no solo, com base nesses resultados é possível gerenciar melhor as práticas agrícolas em relação ao meio ambiente. O bom aproveitamento, exploração adequada aliado ao conhecimento técnico garantirão a preservação do bioma e acesso da população aos alimentos, e a melhores condições de vida”, afirma, ao citar o Estudo do Potencial Hídrico do Oeste da Bahia, que visa mensurar, por meio de estudos de solo, clima, chuvas e rios, a capacidade de recarga do Aquífero Urucuia.

Segundo o pesquisador da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Fernando Pruski, até 2050 a produção mundial de alimentos precisará aumentar em 50% para acompanhar o ritmo de consumo e crescimento da população. “Nesse contexto, o cerrado se apresenta como um forte espaço e a irrigação na agricultura poderá ser utilizada com base nas disponibilidades e nas demandas. Ao estudar o potencial hídrico da região, pretendemos garantir a segurança hídrica e alimentar, proporcionando aos pequenos, médios e grandes produtores o direito de produzir mais com menos impacto ambiental, através de uma irrigação eficiente”, reforça ao citar que a pesquisa é fruto de uma parceria da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e o Institute Water For Food da Universidade de Nebraska, nos EUA.

Sob o comando do jornalista Márcio Fernandes, o Fórum contou com a presença dos presidentes das duas associações responsáveis pelo estudo, Celestino Zanella, da Aiba, e Júlio Cézar Busato, da Abapa. “A Bahia Farm Show não é só uma feira de negócios, mas um evento que busca dar andamento a várias ações e disseminação de conhecimentos, uma parceria entre entidades que buscam a valorização do agronegócio, com respeito ao meio ambiente e a conservação dos recursos hídricos existentes”, avaliou Zanella que também preside a feira.

Leia mais em: https://www.folhageral.com/#ixzz5HxqwDb6X

Fonte: Folha Geral