Com o auxílio do gerenciamento de irrigação, agricultores conseguem economizar até 20% no consumo de energia elétrica

Na região de Taquarivaí/SP, a fazenda São José está conseguindo economizar até 20% no consumo de energia elétrica. Com 640 hectares, a propriedade conta com 19 pivôs centrais e utilizam o Sistema Irriger a mais de três anos.

De acordo com o Gerente da Fazenda São José, Eliseu da Silva, com o sistema de gerenciamento é possível planejar a irrigação para toda a semana. “Com o programa, nós sabemos quando temos que irrigar ou se está irrigando demais, além de saber a previsão climática e podemos planejar para a semana a irrigação de todos os pivôs”, afirma.

Por: Carla Bravo e Andressa Simão
Fonte: Marcas e Máquinas

 

 

 

Anúncios

Nova modalidade de negociação da Valley permite a aquisição de pivôs com pagamento em sacas de café

Imagem relacionada

A Valley, empresa de soluções de Sistema de Irrigação, uniu forças com a Unibarter, organização focada em consultoria em operações estruturadas de Barter, com o objetivo de oferecer uma oportunidade para produtores interessados em adquirir equipamentos para irrigar as suas lavouras. O projeto permite que o produtor obtenha esse Sistema para utilização na sua propriedade, sem necessidade de recorrer ao crédito, empréstimos ou financiamentos com bancos. O financiamento é concedido pela trading/Unibarter e o produtor paga o projeto de irrigação com o café, a sua moeda de comercialização.

“O produtor tem a oportunidade de solicitar à Valley um projeto personalizado que irá definir as estratégias adequadas para as necessidades específicas, relativas à irrigação, de cada produção, contemplando os bens que são produzidos, o sistema de produção, o tamanho da propriedade, as condições climáticas da região, entre outros”, conta o assistente financeiro da Valley/Valmont, Júlio César de Paula Júnior.

O valor de execução de todo o projeto é informado para a equipe da Unibarter, que fica responsável em auxiliar na implemetação da operação de Barter e definir a relação de troca para cada negócio (quantidade de sacas para adquirir um determinado projeto de irrigação). Após a aprovação da operação e da análise de crédito validada pela trading parceira, o produtor compromete-se a pagar, com o seu próprio produto, pelos equipamentos de irrigação instalados, no decorrer das primeiras três safras depois da implantação.

“A ideia do projeto é ampliar o acesso à irrigação de boa qualidade, sem prejudicar os produtores financeiramente, e dando oportunidade para o seu crescimento e investimento com foco no  aumento da produtividade”, explica Júlio César.

Usinas de açúcar e etanol também poderão usufruir da nova modalidade de negócio Barter, onde poderão obter o financiamento junto à trading parceira para aquisição da irrigação. O prazo para estas operações envolvendo produtos sucroalcooleiros é de uma safra.

Fonte: Grupo cultivar

Centro de distribuição inaugurado em Salvador vai beneficiar produtores da agricultura familiar da Bahia

Centro de Distribuição da Agricultura Familiar fica no bairro de Itapuã, em Salvador — Foto: Secretaria de Desenvolvimento Rural

Foi inaugurado, em Salvador, o Centro de Distribuição da Agricultura Familiar, que vai beneficiar produtores do setor no escoamento e armazenamento de produtos. O centro fica no bairro de Itapuã e o investimento foi de R$ 1,2 milhão.

A inauguração aconteceu no último domingo (25), durante a 9ª Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária, o maior evento da agricultura familiar do Brasil, que acontece até o dia 2 de dezembro, no Parque de Exposições de Salvador, em paralelo à 31ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro).

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o Centro de Distribuição integra a estratégia de comercialização dos produtos da agricultura familiar. No espaço tem depósitos fechados de cooperativas baianas para facilitar o escoamento da produção. O centro também vai possibilitar a produção em larga escala.

Segundo a SDR, o espaço também é uma oportunidade para as cooperativas da agricultura familiar levarem os produtos em grande quantidade, armazenar no Centro de Distribuição, e fazer as vendas para supermercados, delicatessens e padarias.

Fonte: G1

Projeto de irrigação em PE pode se chamar Deputado Osvaldo Coelho

Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) realiza reunião com 23 itens. Na pauta, PLC 127/2017, que proíbe aprovação automática de estudantes.  Bancada: senador Antonio Anastasia (PSDB-MG); senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE); senador Cristovam Buarque (PPS-DF).  Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O Projeto de Irrigação do Pontal, situado em Petrolina (PE), pode passar a ser denominado Projeto de Irrigação Deputado Osvaldo Coelho. É o que determina o Projeto de Lei do Senado (PLS) 711/2015, aprovado nesta terça-feira (27) na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

O Projeto de Irrigação do Pontal é de responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e irá irrigar, quando totalmente implantado, uma área estimada em 7,7 mil hectares no município de Petrolina.

Na justificação do projeto, o autor, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), sobrinho do homenageado, descreve a trajetória do deputado, eleito por três vezes para a Assembleia Legislativa de Pernambuco e oito vezes para a Câmara dos Deputados, sendo conhecido no sertão pernambucano como o “deputado da irrigação”.

O relator, senador Pedro Chaves (PRB-MS), é favorável ao projeto e apresentou apenas uma emenda de redação. De acordo com Pedro Chaves, “nada mais justo do que homenagear o incansável lutador pelo desenvolvimento do sertão de Pernambuco”. Cristovam Buarque (PPS-DF) também mencionou a persistência, calma e determinação com que o ex-deputado conquistava seus objetivos, como a própria implantação do Projeto Pontal.

A proposta, aprovada por unanimidade com 13 votos, é terminativa na comissão e segue para análise na Câmara dos Deputados, se não houver recurso para avaliação em Plenário. Caso sancionada, a lei passa a valer na data de publicação no Diário Oficial da União.

Fonte: Agência Estado

Embrapa abre inscrições para curso de manejo de irrigação em Petrolina, PE

A Embrapa Semiárido está com inscrições abertas para o XVI Curso de Manejo de Irrigação. O evento irá acontecer de 28/11 a 01/12 no Escritório de Apoio da empresa, no Centro de Convenções Nilo Coelho, em Petrolina (PE) e as inscrições devem ser feitas no local até o próximo dia 28. O curso é uma realização da Embrapa e tem a participação de professores do Instituto Federal – Sertão Pernambucano

A programação foi elaborada visando dar suporte aos interessados em melhorar a utilização da água na agricultura irrigada em seu dia a dia, com fundamentação teórica básica e prática de campo de como utilizar algumas ferramentas. A exemplo das edições anteriores, as palestras estão marcadas para o horário noturno, entre das 19h às 22h. No sábado, (01/12) haverá aula prática, a partir das 7h, demonstrando o uso de técnicas auxiliares no manejo da irrigação.

Os procedimentos buscam, essencialmente, suprir as necessidades das culturas de maneira que possam expressar seu potencial genético de produção sem restrições hídricas. Segundo o coordenador do curso, o pesquisador Marcelo Calgaro, “a operação adequada dos sistemas irrigação resulta em vantagens como diminuição dos custos de produção (água/energia) além de controles da contaminação do lençol freático e da salinidade do solo”.

Para ele, isto envolve informações e conhecimentos que não se restringem à operação de equipamentos. A eficiência do seu uso requer um funcionamento que acentue o equilíbrio do sistema solo-água-planta. Assim, é possível alcançar o uso racional de água, o que é exigido em programas de produção integrada de frutas e que são referência de qualidade em mercados consumidores do Brasil e do exterior.

Serviço:
XVI Curso de Manejo de Irrigação
LOCAL DE INSCRIÇÃO: Escritório de Apoio da Embrapa Semiárido
Centro de Convenções Senador Nilo Coelho
VALOR: R$ 150,00
PRAZO DE INSCRIÇÃO: 28/11/2016
CONTATO: (87) 3861-4442
Falar com Mariléa Rodrigues
marilea.rodrigues@embrapa.br