Seca requer atenção na manutenção dos jardins

Azaleia - ERICK PINHEIRO

A época de estiagem não interfere tanto na conservação dos jardins, mas alguns cuidados na estação que antecede a primavera são aconselháveis, exatamente pela escassez de chuvas e baixa umidade do ar. A orientação é de Elis Marina Gerotti, gerente da loja O Produtor Garden, especializada em flores e plantas em geral para jardinagem. Segundo ela, os cuidados são básicos, recaindo sobretudo na forma de se regar.

Elis Marina destaca que não há necessidade de se encharcar a terra: basta apenas mantê-la úmida. Ela comenta, inclusive, que em nenhum momento as plantas devem ficar encharcadas, pois isso pode colaborar para surgimento de doenças que podem comprometer a saúde das plantas.

Embora não seja algo obrigatório, uma dica prática é regar o jardim ou os vasos sempre pela manhã, para que a planta possa absorver a água no decorrer do dia. “Feito isso, o morador pode ficar tranquilo”, garante.

Mas há outras possibilidades para se manter as plantas hidratadas. Para os jardins grandes, o ideal é o sistema de irrigação — mas quem não possui essa estrutura, pode recorrer à mangueira uma vez ao dia que obterá o mesmo efeito.

Já para os vasos de flores, o gotejamento pode ser utilizado. Esses sistema é feito utilizando-se uma garrafa pet como base, com furos.

Elis Marina avisa, porém, que independente dos cuidados acima, no inverno as plantas tendem a ter uma aparência “menos bela”, mantendo-se como numa “dormência” à espera da primavera. Isso, segundo ela, faz parte do ciclo natural. Portanto, mesmo com a irrigação adequada, se a planta apresentar um aspecto um pouco “feio”, não é motivo para preocupação.

Outra orientação para manter jardins belos durante a estiagem é quanto à adubação — que não pode ser esquecida. Esta pode ser feita com humus de minhoca, terra vegetal (terra preta adubada), ou com esterco de gado (chamada de “natural”). Já a adubação em vasos deve ser feita sempre com humus de minhoca.

Plantas indicadas 

Manter as flores e plantas adequadas em cada tipo de ambiente também faz parte do processo de cuidados, embora independa da estação climática. Por isso, antes de preparar um jardim ou querer enfeitar a residência com flores em suas dependências internas, é preciso saber quais são as “de sol”, e quais são “de sombra”.

Palmeira Ráfis - ERICK PINHEIROPalmeira Ráfis – ERICK PINHEIRO

Algumas das flores de sol são a exora, a lantana, a begônia, e a manacá da serra. Entre as plantas de sol estão a cica, buchinho, palmeira ráfis, palmeira areca bambu, e a azaléia — que embora seja de sol, floresce mais no inverno.

Manacá da Serra - ERICK PINHEIROManacá da Serra – ERICK PINHEIRO

Entre as flores de sombra conhecidas estão o lírio da paz, o antúrio e as orquídeas. E, alguns exemplos de plantas de sombra são a palmeira ráfis, a ficus lyrata, e a pacová.

Antúrio - ERICK PINHEIROAntúrio – ERICK PINHEIRO

Elis Marina reforça, no entanto, que embora os tipos próprios de sombra não sofram tanto com o inverno e a consequente seca, os cuidados devem ser os mesmos: nunca deixe a terra encharcada e mantenha a adubação mensalmente.

Lírio da Paz - ERICK PINHEIROLírio da Paz – ERICK PINHEIRO

Fãs dão suas dicas para manter as plantas sempre bonitas 

Admiradores de flores e folhagens dizem que as mantêm bonitas, mesmo em época de estiagem, sem grandes dificuldades. Para isso, ensinam, as regam constantemente, e também as adubam. Porém, para o resultado esperado, é preciso saber qual a característica de cada flor e planta, para que sejam cuidadas em locais adequados.

Washington rega os antúrios e gerânios em dias alternados - FÁBIO ROGÉRIO

Washington rega os antúrios e gerânios em dias alternados – FÁBIO ROGÉRIO

Com o conhecimento adquirido na prática e por meio de pesquisas, o técnico de radiologia Washington Roberto dos Santos mantém antúrio e gerânio, flores típicas de sombra, em seu corredor interno, as molhando em dias alternados. Ele salienta, porém, que no vaso de gerânio a água é colocada somente na terra, mas que o antúrio, por sua vez, gosta de ser molhado diretamente. A adubação é feita a cada 20 dias, aproximadamente.

Helena plantou seus antúrios e mil cores em terra adubada - FÁBIO ROGÉRIOHelena plantou seus antúrios e mil cores em terra adubada – FÁBIO ROGÉRIO

Também fã de antúrio, a dona de casa Helena Biazotto Pereira mantém essas plantas inclusive na parte interna de sua casa. Ela também tem plantada a mil cores, igualmente adaptada à sombra. Helena conta que as rega constantemente. No entanto, como as plantou, há cinco meses, já em terra adubada, não precisou mais promover adubação.

A dona de casa Zilda Antunes Amorim mantém um jardim na parte frontal de sua residência com as flores bico de papagaio e as plantas azaleias, ambas de sol. Ela afirma que a falta de chuva a obriga a regá-las até duas vezes na semana. Outra medida adotada por ela é a da poda, feita sempre por um jardineiro.

Fonte: Jornal Cruzeiro

Anúncios