Projeto AproCima monitora áreas rurais, malha rodoviária e produção agrícola em Minas

Satélite Sentinel 2A da União Europeia, utilizado pela ferramenta

O projeto AproCima, vencedor da modalidade Inovação em Políticas Públicas da 2ª edição do Prêmio Inova Minas, pretende facilitar a implementação e acompanhamento de políticas públicas nas áreas rurais do Estado.

A proposta busca identificar comunidades rurais isoladas, além de mapear estradas primárias e secundárias do estado e a produção agrícola existente. Tudo isto, realizado a partir da análise automatizada das imagens de satélite, gratuitas e de alta resolução, fornecidas pelo satélite europeu Sentinel 2A.

O projeto consegue fazer o mapeamento e identificação de avanços e deficiências nessas três áreas, garantindo maior agilidade e custo reduzido na tomada de decisões pelo poder público, servindo de modelo para outros estados do país.

“Pegamos 45 municípios e fizemos um estudo em cima deles. O algoritmo de mapeamento das áreas de produção já registra 90% de acerto, isso representa um elevado grau de confiança”, conta Wesley Mateus, um dos autores do projeto e coordenador da área de monitoramento da Superintendência de Programas Especiais da Secretaria de Estado de  Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).

Wesley explica, também, que o projeto busca identificar, por exemplo, onde há buraco na malha rodoviária no estado, que possui, hoje, um déficit de mapeamento de 3.000 quilômetros, além de diferenciar que tipo de cultura está plantada em cada região e se há carência ou irrigação excessiva em determinadas áreas.

Dentro das ações do Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo, coordenadas pela Sedese, a ideia é utilizar o AproCima para a construção de estratégias de desenvolvimento regional e estabelecimento de mercados locais.

“O AproCima pega as imagens disponibilizadas pelo satélite Sentinel 2A da União Europeia e ‘ensina’ o computador a reconhecer padrões de imagem referentes à comunidade rural, estradas ou área agrícola produtiva. Em um segundo momento, procuramos identificar padrões de trechos ruins das vias. Com relação às áreas de plantio, desejamos identificar o tipo de cultura, se é soja, milho, arroz e se há  falta de irrigação”, explica.

Dividem a autoria do projeto, além de Wesley, Helder Carlos Júnior, da Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais (Seccri); e Pedro Henrique Costa, da Secretaria de Segurança Pública (Sesp). AproCima está sendo desenvolvido em parceria com o grupo de pesquisa Patreo, vinculado ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Fonte: Hoje em Dia

Anúncios