Problemas de irrigação causam prejuízos em horta comunitária

 (Crédito: Gabriel Paulino)

Os termômetros de Teresina ultrapassaram os 40 graus várias vezes em 2016, e quem sofre com as altas temperaturas não é somente a população. Somado à baixa umidade, esse fator acabou prejudicando algumas hortas comunitárias da capital, gerando grandes prejuízos aos pequenos produtores.

Raimunda Lopes de Souza mantém sua plantação na horta comunitária do Dirceu desde 1987 e afirma que 2016 foi um dos piores anos para a safra. “O calor é demais e os irrigadores que colocaram não estão dando conta. Deveríamos ter irrigação das 6h às 9h, mas quando dá 7h a água já está cortada”, ela disse. Ela, que planta anualmente cebola, coentro, couve e alface, este ano só conseguiu colher cebolinhas. “Ainda tinha conseguido a safra de coentro, mas os ladrões entraram e levaram tudo”, denuncia.

Maria Alves da Paz vive realidade parecida. O dinheiro que ganha com a horta deveria complementar os ganhos da aposentadoria, mas a realidade este ano é outra. “Eu planto há 22 anos e esse ano foi o pior, não ficou nada, tudo queimado. Meu prejuízo é de mais de mil reais, eu estou tendo que tirar da minha aposentadoria para replantar tudo”, ela lamenta.

O gerente de Produção Agropecuária da Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR) de Teresina conta que não tem os números de quantas famílias ficaram prejudicadas por causa das temperaturas, mas afirma que elas aconteceram de forma isolada. “Nas hortas comunitárias, às vezes acontece de queimar alguma bomba e ficar dois ou três dias sem irrigação. Como algumas plantas são mais sensíveis, no período do transplante acabam morrendo. Durante esse período, a demanda por água aumenta, e precisamos furar mais poços para dar conta da demanda”, ele explica.

 (Crédito: Gabriel Paulino)

O gerente conta que já foram implantadas caixas d’água em vinte hortas para melhorar o abastecimento, e está previsto o aumento da capacidade de 20 mil litros para 60 mil litros d’água em alguns reservatórios. “A gente vai conversando, vendo as demandas e tentando solucionar esses problemas. Em alguns locais, há também problema entre eles, de um querer ter mais água que o outro, e isso deve ser denunciado para a gente poder resolver”, esclarece.

Teresina conta com 45 hortas comunitárias, que produzem hortaliças, sendo 42 urbanas e 3 rurais, e delas dependem mais de 2,5 mil famílias. Além delas, ainda existem os campos agrícolas, destinados a produções como melancias e abóboras, responsáveis pelo sustento de mais de 200 famílias.

Fonte: Jornal MeioNorte

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s