Produtores de cana conhecem benefícios da cultura da mandioca

00mandioca

Foto: Divulgação

Um grupo de produtores de cana dos municípios de Murici, Marechal Deodoro, Fleixeiras, Joaquim Gomes, Teotonio Vilela, Junqueiro, entre outros, participou de um encontro com técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) para conhecer as potencialidades da cultura da mandioca. O evento foi realizado, em Arapiraca, na sede da Cooperativa Agropecuária de Campo Grande (Coopeagro).

Os produtores, que pretendem diversificar a produção da cana de açúcar com a cultura da mandioca, foram acompanhados por técnicos da Superintendência da Inclusão Produtiva da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), onde conheceram de perto as vantagens da cadeia produtiva da mandioca.

Para o Superintendente da Seagri, Israel Moura, o incentivo do governo de Alagoas, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), aos produtores que querem optar pela diversificação da cultura da mandioca, além de incentivar a produção vai, sobretudo, fortalecer a agricultura familiar nas regiões.

Como explica o técnico da Seagri, Nelson Vieira, que acompanhou o grupo, os produtores tiveram a oportunidade de conhecer o processo de industrialização da fecularia do Agreste, a viabilidade do setor e as vantagens da mandioca para o processo de diversificação.

Durante a visita à sede da Cooperativa Agropecuária de Campo Grande (Coopeagro), em Arapiraca, os produtores também tiveram a oportunidade de conhecer alguns produtos, como a goma, a fécula, polvilho doce, polvilho azedo e a farinha industrial.

Entre as vantagens da cadeia produtiva da mandioca em relação às outras culturas, apresentadas ao grupo de produtores de cana, estão a redução de custo, já que a semente é fornecida pela própria estrutura da planta, dispensa o uso de agrotóxico na manejo da cultura, aproveitamento integral da planta, mercado para demanda da produção, as folhas e ramos servem como fonte de proteína para o consumo animal, além da produção ser o ano inteiro.

 
Fonte: Agrolink

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s