Pronaf beneficia agricultores com aquisição de veículos, irrigação e plantio de café

Solenidade-de-assinatura-de-crédito-rural-do-PRONAF_Milho-Café-e-urucum_04.07.16_Foto_Daiane-Mendonça-30-570x380

Agricultores familiares de Porto Velho assinaram nesta segunda-feira (4) contratos de crédito rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), totalizando 212 projetos e R$ 11.549.196,32. Os recursos referem-se ao Plano Safra 2015/2016, e são liberados com assistência técnica da Emater aos projetos e operação financeira do Banco da Amazônia (Basa).

O credito é concedido a diversos benefícios. Plantio de café, compra de gado, construção de cercas, de máquinas e veículos e irrigação entre outros. Os agricultores têm prazo de carência de até 3 anos, sete anos para pagar e juros diferenciados para a produção familiar que variam de 0,5% a 5,5% ao ano.

Esta é a vantagem que o casal Miguel Batista de Oliveira, 65 anos, e Maria Nunes, 60 anos, terá para irrigar os três mil pés de açaí, 2.500 deles em produção, plantados na propriedade localizada na BR-319, a 106 quilômetros do centro de Porto Velho. É a primeira vez que acessam crédito do Pronaf.

“Temos três hectares de açaí e estamos perdendo produção porque falta água. Por isso compramos máquina para irrigar. A energia também está chegando agora”, diz Miguel Batista, que há 10 anos trabalha no sitio da Comunidade Imigrante, e fez financiamento de R$ 18 mil.

Representando o governador Confúcio Moura, o presidente da Emater Rondônia, Francisco Mendes de Sá Barreto Coutinho, disse que o crédito disponibilizado pelo Pronaf é diversificado, e ressaltou o crescimento da agricultura familiar em Porto Velho, inclusive com a instalação de agroindústrias.

Segundo Francisco Coutinho, na área de Cujubim Grande existem três agroindústrias, de beneficiamento da castanha e duas de frutas; de processamento da farinha em Demarcação e uma de babaçu no distrito de Calama.

“Isso é muito importante para o nosso produtor, mas precisamos obter recursos federais para construirmos uma Ceasa (central de comercialização de alimentos) não apenas em Porto Velho, mas nos principais municípios de Rondônia”, disse.

“A agricultura familiar precisa ter local para vender sua produção”, reforçou o presidente da Emater, registrando importante investimento de cerca de R$ 12 milhões feito pelo governo Confúcio Moura na indústria de calcário, com objetivo de corrigir o solo das propriedades rurais.

COMERCIALIZAÇÃO

Local para vender a produção é o que reivindica também o produtor Francisco Ferreira Nobre, 73 anos, que esteve na sede da Associação dos Empregados da Emater (Asser-RO) para assinar o contrato de credito superior a R$ 40 mil para compra de um veículo Fiat Strada. Ele defende também a criação de uma cooperativa para cuidar da comercialização da produção de Porto Velho.

“Em terra que dá milho, dá tudo”, disse Francisco Nobre, observando as belas espigas que ornavam a mesa de autoridades no ato de assinatura dos contratos. “Mas estou tendo perda de até 60% da minha produção de maracujá porque não consigo vender tudo”, acrescentou.

Ele produz por ano oito toneladas de maracujá e 12 toneladas de banana no Assentamento Santa Rita, situado a pouco mais de 60 quilômetros, na BR-364. Cada caixa de maracujá, com 16 quilos, vende a R$ 40,00, acreditando que em pouco mais de um ano pagará o carro.

O Plano Safra 2015/2016, encerrado no dia 30 de junho, atenderá também agricultores familiares de Guajará Mirim e Nova Mamoré, totalizando investimento de R$ 4.239.525,33 em 67 projetos, e Extrema, no montante de R$ 2.727.018, 39, envolvendo quarenta projetos. Somados a Porto Velho, são 319 projetos (igual número de agricultores) e R$ 18.515.740,04 em crédito.

O superintendente do Basa, Wilson Evaristo, disse que a instituição está empenhada em tornar mais célere a tramitação dos pedidos de crédito para a agricultura familiar, que reclama da burocracia. Ele anunciou um encontro no final do mês “com toda a base operacional do banco e gerentes” e técnicos da Emater com o intuito de fazer uma alinhamento nos processos de elaboração de projetos e de financiamento para dar velocidade as ações.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Maurão de Carvalho, anunciou que do orçamento desse poder irá destinar R$ 12 milhões para atender a agricultura familiar, incentivando os agricultores presentes a cultivarem café.

Também participaram do evento os deputados Jean de Oliveira e Só na Bença e o deputado federal Lindomar Garçon.

Fonte: Tudorondonia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s