Área irrigada no Brasil cresce 43% em 8 anos e fica entre as 10 maiores do mundo

agriculture-722445_640

Um relatório feito pela Embrapa e pela Agência Nacional das Águas (ANA) publicado nesta semana revela um aumento de 43% no uso de pivôs para irrigação da agricultura brasileira entre 2006 e 2014. Segundo o levantamento, o Brasil conta com cerca de 20 mil pivôs centrais irrigando uma área de 1,275 milhão de hectares, o que coloca o país entre os dez países com maior área irrigada no planeta. China, Índia e EUA são os maiores países com grandes áreas irrigadas.

Segundo o relatório, o País tem potencial para aumentar em cinco vezes as lavouras com essa tecnologia de irrigação.

O trabalho identificou uma forte concentração na adoção de pivôs: os 100 maiores municípios concentram 70% da área total brasileira irrigada. O levantamento foi realizado por meio de imagens de satélite em todo o território nacional. Foram identificados pivôs em 22 unidades da federação, todavia 80% da área irrigada encontra-se em quatro estados: Minas Gerais, Goiás, Bahia e São Paulo. O estudo também registrou uma forte expansão da atividade nos últimos anos em Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

Responsáveis técnicos pelo estudo, os pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (MG) Daniel Pereira Guimarães e Elena Charlotte Landau afirmam que, além de auxiliar na gestão do uso da água, gestores públicos poderão ter informações sobre o uso da água na irrigação e até avaliação da safra agrícola.

“O cálculo mostra a área irrigada e a localização exata de cada pivô central”, ressalta Charlotte. Os pesquisadores contam que foi feito cruzamento das bases de dados referentes à agricultura irrigada com as bases de bacias hidrográficas da ANA e de municípios com dados organizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrando não somente o uso, mas também a disponibilidade dos recursos hídricos. Os maiores polos de irrigação, entre os 16 identificados, encontram-se nas bacias hidrográficas dos rios São Francisco e Paraná, esta última concentra 50% dos pivôs centrais do País.

A pesquisadora da Embrapa destaca que em 2014, 92% dos pivôs concentravam-se nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Bahia, Rio Grande do Sul e Mato Grosso (Tabela 1). A aplicação do mapeamento aprimorou as estimativas de demanda de água, tanto no cálculo quanto espacialização. (Carta Campinas com informações de divulgação)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s