Plano tem meta de aumentar área irrigada em 5 milhões de hectares

irrigação2

O Plano para Expansão, Aprimoramento e Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Irrigada foi anunciado nesta terça-feira (10), em Brasília, pela ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). O projeto visa a aumentar a área irrigada do país de 6,2 milhões para 11,2 milhões –expansão de 5 milhões de hectares, ou 80% — em 10 anos.

O plano de irrigação foi apresentado a autoridades e do setor produtivo pelo diretor da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Arno Jerke Junior, ex-diretor do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do ministério. Segundo ele, o projeto tem os seguintes objetivos: usar a água de forma racional, evitar as perdas agrícolas por causa de problemas climáticos, aumentar a produtividade de 3,4 para 4 toneladas por hectare e gerar até 7,5 milhões de empregos diretos e indiretos. Do ponto de vista ambiental, busca diminuir a pressão sobre a abertura de novas áreas de produção.

O plano de irrigação tem duas etapas:

Primeira etapa (2016 a 2019):

– ampliação da área irrigação em 1,5 milhão de hectares, considerando a infraestrutura atual disponível;

– implementação do Cadastro Nacional de Irrigantes;

– implantação de 50 unidades demonstrativas;

– capacitação de 20 mil produtores e técnicos;

– implantação de três centro de referência em agricultura irrigada.

Segunda Etapa (2020 a 2024)

– ampliação da área irrigada em 3,5 milhões de hectares, a partir da identificação das regiões aptas, e equacionamento de questões de infraestrutura e logística;

– capacitação de 35 mil produtores e técnicos;

– implantação de 50 unidades demonstrativas.

As áreas identificadas para o fomento da agricultura irrigada, a curto prazo, têm 4,5 milhões de hectares e estão localizadas em 298 municípios brasileiros. “Às vezes, você tem uma terra maravilhosa, água disponível, mas não tem estrada nem energia. Então, aquele local não pode ser prioritário”, disse Kátia Abreu.

A prioridade número um é atender as regiões do Semiárido brasileiro e do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).  “Dos 6 milhões de hectares irrigáveis no Matopiba, 500 mil estão prontos, com energia, estrada, armazenagem. Toda a área estratégica de investimento está pronta, é só financiar o produtor. Essa é a grande novidade do estudo”.

O Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017, lançado no último dia 4, destina R$ 550 milhões para financiar a irrigação

Na mesma cerimônia, a ministra Kátia Abreu assinou duas instruções normativas: uma relaciona os modelos de equipamentos dispersores utilizados em aeronaves agrícolas, com uso aprovado pelo Ministério da Agricultura; e a outra determina a certificação zootécnica de suínos pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). A associação é a responsável pelo registro genealógico de suínos, com autorização do ministério. As instruções serão publicadas no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s